Quanto tempo sua equipe gasta no gerenciamento da arrecadação dos débitos automáticos?


Uma das principais preocupações que rondam o dia-a-dia dos gestores financeiros é o tempo que a equipe precisa dedicar para realizar a gestão dos recebimentos por débito automático.

Normalmente é a dificuldade em acompanhar os recebimentos já efetuados e os que ainda estão programados para entrar na conta que faz com que o tempo destinado para essa atividade seja elevado.

Esta dificuldade ocorre porque muitas vezes não é fácil visualizar todas as entradas que devem (ou deveriam) acontecer em um determinado período, pois mesmo sendo um dos meios mais seguros e que proporciona, ao máximo, a garantia de recebimento dos produtos vendidos ou serviços prestados, não garante 100% o recebimento destes valores.

Isso porquê sempre podem ocorrer problemas que levam os clientes a atrasarem ou não pagarem suas contas. Motivo este que causa impactos na programação dos débitos automáticos.

Além disso, a dificuldade em visualizar as entradas também pode ocorrer pelo fato de que para atender seus clientes as empresas trabalham com diversos bancos e podem receber por todos eles.

E, a necessidade de entrar no sistema de cada uma destas instituições financeiras para visualizar as entradas programadas pode ser um processo que demande várias horas ou até mesmo o dia inteiro.

Imagine se forem dezenas de bancos. Quanto tempo sua equipe iria precisar?

Em alguns casos pode ser necessário ter um ou mais profissionais dedicados exclusivamente para essa função.

Para minimizar os problemas e otimizar o tempo dedicado a este trabalho de gestão é de extrema importância contar com ferramentas que ofereçam facilidades e proporcionem um melhor aproveitamento do tempo pelos profissionais da equipe.

A automatização de alguns processos, como a conciliação dos débitos automáticos pode reduzir em até 30% o tempo dedicado para esse trabalho da equipe de Contas a Receber.

Então imagine que em sua equipe existam dois profissionais dedicados exclusivamente para esse trabalho, e que por dia sejam necessárias, no mínimo, quatro horas para essa verificação, já que você pode contar com algumas dezenas de bancos.

No exemplo acima, se são gastas quatro horas por dia, multiplicado por dois funcionários, teremos um total de oito horas diárias, o equivalente a 176 horas por mês apenas para essa função.

Quando falamos em reduzir esse tempo gasto em até 30%, temos uma redução de aproximadamente 53 horas. Imagine a economia financeira alcançada com essa redução de tempo. Neste cenário há a possibilidade, até mesmo, de destinar outras funções para estes profissionais.

O processo de conciliação, normalmente feito de forma manual, é tão essencial aos negócios que é considerado uma das mais importantes práticas de controle financeiro. É a partir da conciliação que as possíveis inconsistências são percebidas.

É por meio da conciliação que se faz a comparação entre as regras de cada cliente e os levantamentos nos extratos bancários. É neste processo que se torna possível visualizar as entradas (em débito automático) efetuadas e as que deveriam constar, mas que ainda não aparecem no extrato.

Além deste, existe também outro processo tão importante quanto o primeiro que pode contribuir para a redução de tempo gasto com a gestão financeira das entradas por débito automático. Trata-se da consolidação que proporciona a visão multibancos, pois é capaz de agregar dados de fontes diversas.

Com esta ferramenta a equipe consegue ter acesso a informações de extratos e bancos diferentes para facilitar a visualização e gestão das contas a receber por débito automático.

Contar com essas ferramentas torna o processo de gestão mais rápido e eficaz e possibilita mais flexibilidade para a equipe dedicar tempo para outras ações.

Acesse aqui e conheça as ferramentas que ajudar a reduzir o tempo gasto na gestão de recebimentos por débito automático.

Quero mais informações sobre soluções financeiras

Preencha o formulário que nós entraremos em contato.

Inscreva-se na newsletter

Informações sobre o mundo da conectividade financeira